terça-feira, 11 de julho de 2017

A PROMESSA TRANSCENDE A LEI

A PROMESSA TRANSCENDE A LEI
A Bíblia é um livro maravilhoso e tem como finalidade mostrar ao homem o que deve fazer para se aproximar de Deus, não obstante, dela surgem também inúmeras interpretações errôneas que acabam trazendo confusão e impedindo que o homem usufrua tudo aquilo que ela lhe proporciona.
O apóstolo Paulo dá uma verdadeira aula teológica para um grupo de cristãos que havia se distanciado da verdade bíblica, os Gálatas. Pessoas que estavam confusas quanto ao que deveriam fazer para serem salvas. Esta confusão se deu pelo fato de terem se infiltrado pessoas que colocaram a autoridade apostólica de Paulo em cheque, ensinando outro evangelho que tentava trazer de volta os rituais judaicos como condicionantes para a salvação.
Paulo cita Abraão, o nosso pai na fé, afirmando que ele creu e isto lhe foi imputado como justiça e, em consequência disto, Deus lhe fez uma promessa, que através dele todas as nações da terra seriam benditas, como afirmam as Sagradas Escrituras (Gl 3.6-8). O seu descendente, Jesus Cristo, seria aquele que estenderia esta bênção a todos os povos por intermédio da fé e não pelas obras da lei ou por dogmas religiosos (Gl 3.16).
Depois da promessa feita ao pai Abraão mais de quatrocentos anos se passou, as transgressões se multiplicaram em Israel chegando ao ponto de Deus ter que estabelecer leis até que viesse o Descendente a quem se referia à promessa, Jesus de Nazaré (Gl 3.19). Moisés então recebe as tábuas da lei no monte Sinai.
As leis e os dogmas não foram capazes de justificar o homem, pois ninguém era capaz de cumpri-la integralmente, e, todos, pela lei, estariam condenados à morte (Rm 8.3; Tg 2.10).
Cristo nos redimiu da maldição da lei, fazendo-se maldição em nosso lugar, pois estava escrito que maldito seria todo aquele que fosse pendurado no madeiro (Gl 3.13).
Aleluia! Cristo foi o único que conseguiu cumprir plenamente a lei mosaica a fim de que todo aquele que nele crer seja totalmente justificado por Deus. Paulo ainda afirma para os cristãos da Galácia que toda a lei se resume em uma única coisa: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo (Gl. 14).
Portanto, amados do Senhor, tenhamos este mesmo entendimento de que jamais seremos justificados pelas obras da lei ou por aquilo que fizermos, mas, exclusivamente, pela fé em Cristo. Não uma fé morta, irracional e infrutífera, e sim uma fé verdadeira que se revelará pelo testemunho de alguém que procura imitar a Cristo em tudo, principalmente quanto ao amor incondicional ao próximo. A promessa de Deus para estes, que transcende a qualquer esforço humano e ritualista, é a vida eterna com Ele.

Juvenal Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quem sou eu

Minha foto

Sou casado com Nilcéia e temos duas lindas filhas. Me alistei no Exército de Cristo a cerca de 24 anos atrás. Desde então meu alvo é agradá-lo em tudo o que faço. Meu maior prazer é anunciar as boas notícias do Senhor Jesus, sendo um profeta (aquele que fala em o nome do Senhor) para esta geração.